Caminhos para alcançar a independência financeira

Caminhos para alcançar a independência financeira

Alcançar a independência financeira está na lista de quase todas as pessoas. Essa preocupação começa geralmente entre os 20 e 30 anos, a mesma fase em que tradicionalmente os jovens estão entrando para o mercado de trabalho e iniciando uma carreira.

Muitas pessoas, principalmente os jovens, acreditam que chegar lá é sinônimo de não depender mais financeiramente dos pais ou de qualquer outra pessoa. Porém, existem outros perfis e diferentes opiniões sobre o mesmo tema. Para conhecê-las, visite nosso artigo O que é independência financeira para você?

De qualquer forma, se sair do casulo é a sua ideia principal de independência financeira, esse texto foi escrito pensando em você! Continue lendo o artigo para avaliar se esse é o momento certo para dar o próximo passo.

Jovem pensando e tendo ideias sobe a independência financeira


Repense o seu estilo de vida

Uma questão que pode definir em quanto tempo uma pessoa pode alcançar sua independência é o estilo de vida. Para o professor de finanças do Ibmec/RJ, Gilberto Braga, este não é necessariamente um ponto crucial, mas tem grandes impactos sobre o tempo que a pessoa levará para alcançar a independência.

Morar sozinho significará mais custos

Michelle Pires, relações públicas de 27 anos, saiu de casa muito cedo, ainda no período em que fazia faculdade. Precisou aprender sozinha como adequar seu estilo de vida à sua nova realidade.

“No início, eu não planejava como iria gastar o meu dinheiro e fazia compras por impulso, saia mais do que podia, viajava sem me organizar – o que me atrapalhou bastante. Hoje entendo que o planejamento é essencial! Possuo uma planilha onde controlo todas as contas fixas e pontuo um valor para gastos extras. Tenho listas de tudo que preciso comprar – mercado, supérfluos, etc. – e tento priorizar mês a mês de acordo com o que estabeleci. Hoje, consigo até me preparar para o futuro, poupando, e em breve irei contratar capitalização e previdência privada”, conta Michelle.

Até alcançar esta maturidade Michelle precisou muito da ajuda financeira da família para poder manter seus custos prioritários, como o aluguel. Sua independência financeira chegou junto com o desenvolvimento da carreira e o ato de repensar o estilo de vida. “Hoje arco sozinha com todas as minhas despesas. Levei um tempo até conseguir me reorganizar, mas consegui. Outros desafios que podem surgir são a mudança de emprego, aumentos de taxas e aluguel e é preciso estar preparado para isto”.

Adiar a saída da casa dos pais pode ser uma boa opção

Para Braga, a ajuda de familiares no início da vida não configura uma dependência total. “Isso é comum e natural. Essa ajuda é bem-vinda e saudável quando não representa um sacrifício para os pais”. Mas ele alerta que antes de proclamar a independência e sair da casa dos pais, o jovem precisa considerar que ser independente tem preço e que este pode ser caro.

“Antigamente, os jovens saiam de casa por conta de diferenças de valores, em busca de liberdade. Com as transformações da sociedade, há uma tendência de diminuição nas diferenças de opiniões e comportamentos. Por isso, muitos jovens adiam o momento de sair da casa dos pais ou o casamento para o momento em que alcançam a independência financeira , o que, para eles, pode ser ter a capacidade de comprar um carro e um imóvel”, afirma Gilberto.

Este adiamento pode resultar num planejamento mais ajustado e fazer com que o jovem alcance mais rápido o seu objetivo. Segundo o professor, existem fórmulas para ser independente financeiramente, mas elas não são genéricas ou coletivas. Cada pessoa precisa de um processo específico. A solução é individual, mas um conselho que pode ser dado a todos os que estão em busca da independência financeira, de acordo com Braga, é: sempre gastar menos do que ganha e fazer com que a economia vire investimento.

Leia mais: Investimentos inteligentes: vá além da poupança


Uma boa maneira de investir o seu dinheiro é contratar um plano de previdência privada, que além de oferecer um bom rendimento mensal, oferece mais garantias quando contratada com uma seguradora. Então, que tal conhecer nossos planos de previdência e começar hoje a investir no seu futuro?

  • Publicado

    15 de setembro de 2016

  • Categoria

    Educação Financeira

  • Tags Relacionadas

    Finanças pessoais

Cadastre-se para receber atualizações por e-mail