Aposentadoria para funcionário público: saiba como ela funciona!

Aposentadoria para funcionário público: saiba como ela funciona!

Estabilidade financeira e segurança na terceira idade são uma preocupação comum para a maioria das pessoas. Por isso, vamos falar sobre a aposentadoria para funcionário público, que é um assunto que requer atenção e planejamento.

Os motivos para ter um plano são muitos. Seja para aproveitar o período com conforto e qualidade de vida ou para não ter que buscar fontes de renda em uma época que deveria ser destinada ao descanso e bem-estar, por exemplo.

Para as pessoas que trabalham no setor público, e não no regime CLT ou autônomo, a noção de estabilidade está sempre presente. Assim, esse sentimento deve ser preservado para o tempo de inatividade. Se você também pretende garantir a sua segurança e a de toda a família durante os anos de aposentadoria, continue a leitura para entender melhor a aposentadoria para funcionário público!

Como funciona a aposentadoria para funcionário público?

aposentadoria para funcionário público como funciona

Enquanto os indivíduos que atuam na iniciativa privada se aposentam pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), os servidores públicos que ocupam cargos efetivos utilizam o Regime Próprio de Previdência Social (RPPS).

Na prática, há vários Regimes Próprios que servem servidores da União Federal, dos Estados e dos Municípios. Atualmente, existe um grande leque de regimes que atendem às necessidades dos profissionais. Cada um deles conta com suas próprias regras e estruturas, podendo variar entre as esferas de governo e região.

Outro ponto que deve ser destacado se refere às grandes reformas que afetaram as regras de cada regimento. Nos últimos 30 anos, houve ao menos 5 mudanças consideráveis, sendo em 2019 a mais recente. Assim, você depende da data de entrada no serviço público para definir a quais regras deve se submeter.

Quais são as principais particularidades?

Além de contar com vários regimes existentes, algumas profissões dispõem de regras diferenciadas de aposentadoria, por conta das particularidades das atividades desempenhadas. São elas:

• professores da rede de Ensino Básico;

• agentes que atuam no trabalho socioeducativo;

• servidores do Poder Legislativo;

• agentes penitenciários;

• policiais.

Desse modo, além de conferir o regime associado à entidade para qual você presta serviço, é importante verificar se a sua classe conta com alguma regra especial de aposentadoria para funcionário público que atue em seu benefício.

O que fazer para garantir estabilidade após a aposentadoria?

Existem algumas opções que podem ser interessantes e evitar que o baixo valor da aposentadoria para funcionário público oferecida pelo governo diminua o seu bem-estar nesse período.

Abaixo, listamos alternativas que ajudam a garantir uma boa vida também na aposentadoria.

Tesouro Direto

Essa é uma possibilidade de investimento de renda fixa, em que você compra títulos emitidos pelo Governo Federal e recebe uma rentabilidade em troca. O valor de rendimento é menor comparado com outras opções, porém a principal característica dessa opção é o baixo risco.

Além disso, quanto mais longo o tempo que você deixa seu dinheiro aplicado, mais rentabilidade você vai obter.

Vale destacar que, apesar de ser uma opção interessante, é importante buscar outras alternativas para diversificar a carteira de investimentos e garantir uma boa rentabilidade com os menores riscos possíveis.

CDB

O Certificado de Depósito Bancário (CDB) é um título emitido pelos bancos com o objetivo de financiar suas atividades. Assim, quando você compra um CDB, está emprestando seu dinheiro para uma instituição financeira por um valor acordado.

A rentabilidade do CDB não é padronizada e depende da opção escolhida. Portanto, é bom contar com a ajuda de profissionais especializados para fazer uma escolha segura e rentável.

Outro ponto de atenção é em relação à liquidez. Existem no mercado alternativas com liquidez diária, porém, com menor retorno. Também há investimentos com prazos mais longos para guardar o dinheiro, mas que apresentam risco maior e, portanto, maior rentabilidade.

Letras de Crédito

Outra alternativa para garantir estabilidade na aposentadoria são as letras de crédito. As opções são as Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e as Letras de Crédito do Agronegócio (LCA). Elas são classificadas como investimentos de renda fixa e indicadas para quem tem planos de médio a longo prazo.

Para investir nesses ativos, os aportes iniciais são entre R$ 1 mil e R$ 5 mil. A rentabilidade só é garantida caso o resgate seja feito no vencimento acordado. Uma das vantagens dessa opção é a isenção de cobrança de imposto de renda. Assim, pode ser interessante incorporar as letras de crédito para diversificar a carteira de investimentos.

Previdência privada

Quando o assunto é investimento para garantir uma aposentadoria tranquila, a primeira opção que vem à mente é a previdência privada, não é mesmo? Ela é ótima para ter estabilidade após se aposentar. Além de garantir bons rendimentos, é uma possibilidade para pagar menos impostos.

Existem dois tipos de previdência privada: Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) e Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL). Para entender mais sobre como funcionam essas alternativas para garantir uma aposentadoria estável, siga a leitura!

Como funciona a previdência privada?

Descubra como funciona a aposentadoria para funcionário público

Ao procurar um plano de previdência privada, você certamente vai encontrar as siglas PGBL e VGBL. Enquanto a primeira modalidade, PGBL, é recomendada para quem realiza a declaração do IR completa, a segunda, VGBL, é indicada para os indivíduos que utilizam a versão simplificada.

Essa distinção ocorre porque, no caso do Plano Gerador de Benefício Livre, é possível declarar o valor do plano e por meio dele aumentar a sua restituição do IR.

Já no caso do Vida Gerador de Benefício Livre, a vantagem é outra: no momento de resgatar, você só paga IR sobre os rendimentos e não por todo o valor acumulado, elevando o montante recebido ao final do contrato.

Por que apostar na previdência privada?

Mesmo sendo funcionário público, investir em previdência privada é uma alternativa muito interessante. Por exemplo, você pode deduzir o valor da aposentadoria privada na sua declaração de Imposto de Renda.

Além disso, caso necessário, é possível fazer portabilidade interna, trocando o indexador do seu investimento sem a necessidade de resgatá-lo. Assim, você evita perder a rentabilidade obtida até o momento.

Outra grande vantagem da previdência privada está no planejamento financeiro, pois permite aplicações mensais, partindo de valores bem baixos. Também é possível fazer aportes de modo automático, deixando seu dia a dia mais fácil.

Devido às constantes mudanças nas regras de aposentadoria, é necessário pensar em alternativas para a aposentadoria para funcionário público.

Contar com a previdência privada é um excelente meio para garantir o bem-estar financeiro de toda família e permite que você aproveite com tranquilidade essa fase da vida.

Gostou do nosso artigo? Então siga nossa página nas redes sociais e confira conteúdos como esse! Estamos no Facebook e Instagram!

Além disso, assine a nossa newsletter para receber mais conteúdos informativos como esse. Tudo que você precisa fazer é se inscrever abaixo.

banner-newsletter-728x90

  • Publicado

    15 de outubro de 2021

  • Categoria

    Educação Financeira

  • Tags Relacionadas

    Aposentadoria

Cadastre-se para receber atualizações por e-mail