Como sair das dívidas? Veja estes 17 passos

Como sair das dívidas? Veja estes 17 passos

Muitas pessoas se perguntam como sair das dívidas e deixar essa situação desagradável para trás, mas não têm ideia de que forma lidar com isso para resolver as pendências financeiras. Essa paralisia gera angústia e, às vezes, só piora o cenário — já que os débitos em aberto se acumulam, assim como os juros cobrados.

A boa notícia é que, com determinação e um bom plano financeiro, é possível se livrar das dívidas. Neste post, daremos o passo a passo para quem quer acabar de vez com os débitos em aberto e conquistar a liberdade financeira. Quer descobrir como sair das dívidas? Veja estes 17 passos!

Descubra como sair das dívidas

1. Liste tudo para saber como sair das dívidas

O primeiro passo para saber como sair das dívidas é entender qual é a real situação das suas finanças. Por isso, é essencial listar todos os débitos que você tem, por menores que sejam.

Saiba exatamente quanto está devendo, há quanto tempo e para quem. Isso é indispensável para definir quais débitos precisam ser quitados em primeiro lugar. Liste também as empresas com as quais você deve entrar em contato para renegociar o que está devendo (que já faz parte da nossa próxima dica).

2. Faça renegociações

Depois de listar todas as dívidas, é hora de partir para a ação: entrar em contato com os credores e, se for o caso, propor uma renegociação dos valores em aberto.

Tenha em mente que, assim como você tem interesse em pagar, as empresas também querem receber. Por isso, prepare uma proposta para quitar a dívida considerando quanto você pode dispor para saldar o que deve. Em alguns casos, vale a pena vender algum bem para pagar o débito à vista e conseguir um desconto no valor total. Essa é uma maneira de como sair das dívidas.

3. Participe de feirões e campanhas de negociação

Os feirões e as campanhas de negociação são um ótimo local para conseguir boas propostas e equacionar suas dívidas de acordo com o orçamento disponível. Esses eventos reúnem empresas de diversos segmentos dispostas a renegociar débitos.

Tais campanhas acontecem tanto de forma presencial quanto on-line. Além disso, há feirões itinerantes que percorrem cidades ao longo de determinado período. Para aproveitar as vantagens desse tipo de ação, procure a agenda dos eventos, que normalmente têm datas divulgadas com antecedência.

Em seguida, saiba se as empresas para as quais você deve vão participar. Em caso positivo, compareça ou acesse o site disponibilizado com seus dados em mãos para conferir as condições de negociação propostas.

Elas são bem interessantes, com descontos maiores do que a média do mercado, uma vez que as organizações estão ali com a intenção ajudar o consumidor a se livrar dos valores em atraso com toda a segurança necessária.

4. Priorize os débitos com juros mais altos

Outro passo importante para quem quer saber como sair das dívidas: é preciso priorizar os débitos que cobram juros mais altos.

Se você está devendo no cheque especial ou no cartão de crédito, por exemplo, priorize a quitação desses débitos, que cobram alguns dos juros mais altos do mercado. Dependendo da situação, pegue um empréstimo com taxas competitivas para saldar dívidas caras.

5. Não utilize ou cancele o cheque especial

Embora seja encarado como uma comodidade, o cheque especial é um dos principais vilões em qualquer orçamento. Contar com aquele limite disponível para ser utilizado a qualquer momento tem um custo alto: essa modalidade de crédito pratica uma das mais elevadas taxas de juros do mercado.

Para se ter uma ideia, os juros médios do cheque especial em maio de 2021 foram de 122,1% ao ano. Além disso, mesmo quem não utiliza o limite disponível pode sofrer cobranças. Desde que foram implementadas as novas regras para funcionamento dessa forma de crédito, os bancos cobram tarifas de até 0,25% ao mês sobre toda a parcela do limite que exceder os R$ 500, mesmo que o valor não seja utilizado pelo cliente.

Dessa forma, o cheque especial quase nunca é bom negócio. O ideal, portanto, é que você não utilize ou que cancele essa opção na sua conta. Se for necessário crédito extra, procure por alternativas com juros mais baixos. Com certeza é um jeito simples de como sair das dívidas.

6. Anote todas as entradas e saídas

como sair das dívidas 1024x537

Tornar o controle financeiro um hábito é outro cuidado para quem quer se ver livre das dívidas. Nesse sentido, é importante registrar todas as entradas e saídas do orçamento doméstico. Assim, você descobre não só quanto dinheiro está gastando, mas também em quais categorias estão as principais despesas.

São várias as formas de fazer o gerenciamento financeiro. É possível usar aplicativos, planilhas ou até mesmo caderno e caneta.

Independentemente do método adotado, é essencial registrar mesmo os menores gastos, especificando o valor e a categoria em que a despesa e/ou receita está inserida. Dessa forma, fica mais fácil saber se você está gastando em áreas que são de fato importantes para você e sua família.

7. Avalie a possibilidade de utilizar o FGTS para quitar o que for possível

O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) é um direito trabalhista que, dentro de determinadas condições, é utilizado para quitar dívidas. Tal opção envolve a possibilidade sacar os recursos depositados nas contas em nome do trabalhador e utilizá-los para colocar as dívidas em ordem.

Para isso, fique atento às liberações de saques emergenciais feitas pelo governo periodicamente ou procure a Caixa Econômica Federal, que é gestora do FGTS, para esclarecer as possibilidades de acessar o dinheiro antecipadamente.

8. Envolva os familiares

Como sair de vez das dívidas é uma missão que deve envolver a família inteira, para alcançar a tão sonhada liberdade financeira, é importante que todos os membros da casa trabalhem para manter os gastos sob controle, fazendo sua parte para consumir de forma consciente.

Quitar as dívidas é um processo que exigirá certos sacrifícios de todos. Por isso, é essencial ser transparente. Certifique-se de que os familiares sabem qual é a real situação das finanças da casa e quais custos devem ser reduzidos no orçamento.

Mudar hábitos fica muito mais fácil quando os membros da casa compartilham o objetivo de quitar débitos em aberto e de trabalhar para ficar com as finanças em dia.

9. Não contraia novas dívidas

Quem quer sair de vez do vermelho deve organizar suas finanças de forma a evitar fazer novos débitos enquanto estiver pagando os antigos. Para isso, é preciso mudar os hábitos de consumo.

Para não se ver novamente devendo, é essencial viver de acordo com a renda que recebe, sem cair na armadilha de gastar mais do que ganha e acabar com um saldo devedor.

Saber qual é sua realidade financeira e, principalmente, adaptar-se a ela, é parte importante do processo para lidar de forma saudável com o dinheiro. Mesmo adequações pequenas na rotina — como cozinhar em casa em vez de jantar fora — fazem a diferença no final do mês.

10. Defina metas de gastos

Para manter o controle financeiro e fugir das dívidas, cortar custos é outro passo importante. Mesmo contas de consumo, como luz, água e gás, podem ser reduzidas com algumas mudanças de hábitos.

A fim de gerenciar suas finanças com sabedoria, use o planejamento a seu favor. Antes mesmo de o mês começar, defina metas de gastos para cada categoria do seu orçamento. Inicie pelas despesas essenciais e fixas, como aluguel ou plano de saúde.

Definir quanto você pode gastar em cada categoria é uma maneira de assegurar que sua renda está sendo usada nas áreas prioritárias para você e para sua família.

Um ponto de atenção: além de estabelecer metas de gastos, é importante acompanhar as despesas domésticas ao longo do mês. Assim, você garante que está conseguindo manter-se dentro do que foi determinado.

Se extrapolar o gasto em alguma categoria, busque compensar em outra, a fim de equilibrar seu orçamento e não terminar o mês no vermelho.

11. Organize o orçamento

Quem busca como sair das dívidas precisa entender que a missão, apesar de exigir comprometimento e certa dose de sacrifício, é perfeitamente possível. No entanto, um fator é inegociável: organização.

Um orçamento desorganizado é uma das principais causas para gastos que superam as receitas. Como não sabem exatamente as entradas e as saídas das contas, cartões de crédito e investimentos, as pessoas acabam extrapolando nas despesas.

Para virar de vez esse jogo, separe um tempo para organizar o orçamento pessoal e doméstico. Essa tarefa pode demandar certo tempo, mas fará toda a diferença no gerenciamento diário dos seus gastos.

A organização do orçamento, em linhas gerais, envolve saber todas as receitas que recebe e os gastos que têm durante o mês. É importante, ainda, ter os vencimentos de todas as contas organizados para não ter que lidar com juros por atraso.

12. Corte despesas desnecessárias

Muitos se endividam não só porque gastam mais do que recebem como, também, porque são vítimas das famosas despesas supérfluas. Isso inclui o café após o almoço, aquele delivery quando há comida em casa, ou a comprinha de roupas que não é realmente necessária, só para citar alguns exemplos.

Cortar os gastos desnecessários é passo importante não só para repensar sua relação com o consumo, como para manter o orçamento equilibrado e, assim, sobrar mais dinheiro para quitar as dívidas e, depois, para investir em suas prioridades financeiras.

Apesar de, à primeira vista, parecer que cortar gastos desnecessários é sinônimo de dispensar pequenos prazeres, na prática não é assim que funciona. Você pode começar, por exemplo, com uma análise do seu orçamento para identificar quais são as despesas que não fariam tanta diferença para você.

Planos de assinatura de serviços pouco usados, taxas que você não precisaria pagar e até mesmo atividades que poderiam ser substituídas por opções mais em conta ou gratuitas. Você precisa mesmo assinar um clube de vinhos se não é tão amante assim da bebida, por exemplo?

Comece o corte de gastos desnecessários pelo orçamento e, em seguida, busque colocá-lo em prática nas despesas do dia a dia, como pedidos de comida em casa e compra de guloseimas na saída do trabalho.

Quem tem dificuldades para resistir a esses gastos por impulso pode experimentar algumas estratégias, como sair apenas com dinheiro vivo, deixando o cartão de crédito em casa.

13. Busque uma renda extra

Muito se fala em cortar gastos, mas uma estratégia também muito importante para quem busca como sair das dívidas é procurar opções de renda extra para incrementar os ganhos.

Há alternativas interessantes a quem procura meios para complementar a renda. Você pode, por exemplo, investir em um hobby e torná-lo mais profissional. Cozinhar para fora, vender peças de artesanato ou bijuterias e dar aulas de algum instrumento musical são formas de ganhar um extra fazendo o que gosta.

Outra maneira de conquistar uma renda extra é separando objetos e roupas que não usa mais para a venda. Caso opte por esse caminho, só é importante garantir que os itens estejam em bom estado para, assim, assegurar satisfação total com a sua venda.

Muitas pessoas em busca de renda extra também usam suas habilidades profissionais para ter um dinheiro a mais no fim do mês. Um engenheiro pode investir em aulas particulares ou videoaulas em disciplinas como Matemática, Física e Química, por exemplo.

Há, ainda, outras possibilidades para complementar a renda, como trabalhar como motorista de aplicativo, revendedor de produtos na web e até mesmo redator freelancer. Analise suas habilidades e tempo disponível e busque uma atividade que seja viável para você.

14. Pesquise antes de comprar

Para sair das dívidas, envolva toda a família no planejamento

Outra mudança de hábito que faz toda a diferença na vida de quem quer deixar as dívidas para trás é pesquisar antes de realizar uma compra. Por mais que seja um cuidado simples, muitas pessoas abrem mão de fazer uma simples pesquisa e acabam comprando a primeira opção que encontram — às vezes, pagando mais caro.

A internet é um excelente ponto de partida para a pesquisa de preços. É possível usar recursos como o Google Shopping, ferramenta que pesquisa o preço do mesmo item em diversos e-commerces, considerando ainda fatores como frete.

Pesquisar antes de comprar é um cuidado mesmo nas compras em lojas físicas. Antes do mercado, por exemplo, pode ser uma boa ideia fazer uma pesquisa de preços dos itens mais caros ou que compra em maior volume. Ficar de olho em promoções, cupons de desconto e programas de fidelidade é outra maneira de economizar nas despesas do dia a dia.

15. Faça uma autoavaliação

Um passo que não pode ser deixado de lado por quem quer saber como sair das dívidas é fazer uma autoavaliação. Afinal, de nada adianta implementar uma série de medidas para economizar dinheiro e negociar débitos se não mudar a relação que tem com os recursos financeiros.

Não é à toa que muitas pessoas conseguem pagar o que devem, mas, pouco tempo depois, endividam-se novamente. Isso acontece porque voltam a velhos hábitos nocivos, tentando manter uma rotina que não é compatível com a sua renda.

Para não cair nessa armadilha, é importante separar um tempo para refletir e para entender a relação que tem com o dinheiro. Procure compreender por que faz determinados gastos e por qual motivo, por exemplo, não consegue abrir mão de compras por impulso e de supérfluos.

Caso se veja como comprador compulsivo, você pode buscar ajuda e atuar na raiz do problema, procurando mudar seu comportamento. Assim, é mais fácil não se ver novamente envolvido com dívidas.

Dentro do âmbito da autoavaliação é importante, ainda, considerar se seu estilo de vida está realmente alinhado com suas possibilidades financeiras. Uma pessoa que tem uma renda X e gasta todo mês o dobro desse valor por conta de hábitos que afetam as finanças, obviamente, estará endividada de novo em pouco tempo.

É importante ser sincero consigo mesmo, analisar a rotina e garantir que ela é compatível com a renda que tem no momento. Se reconhecer que gasta além das suas possibilidades, veja adaptações possíveis, como trocar seu aluguel por um mais barato ou negociar seus planos de assinatura.

16. Fortaleça sua educação financeira

A educação financeira é um investimento para a vida toda. Com ela, você será capaz de lidar de forma mais inteligente com o dinheiro, tomando decisões de consumo mais conscientes e optando por soluções financeiras alinhadas com sua necessidade.

Felizmente, com a internet, é possível ter acesso a conteúdos de qualidade de forma gratuita. Por isso, além do nosso blog, procure por vídeos, livros, podcasts e tudo aquilo que ajude a manter o seu orçamento em ordem, livre de dívidas.

17. Organize uma reserva de emergência

A reserva financeira é um instrumento fundamental em qualquer planejamento financeiro. Por isso, ela deve ser uma prioridade na vida de qualquer um que deseja evitar apertos maiores diante de imprevistos. Pode ser difícil formar a reserva financeira enquanto as dívidas ainda estiverem presentes, no entanto, assim que possível, separe uma pequena fatia da sua renda para esse fim.

Comece com valores pequenos (5%, por exemplo) e vá progredindo aos poucos. Lembre-se sempre de procurar uma opção de investimento para que o dinheiro acumulado obtenha algum rendimento e, se possível, não perca poder de compra.

Agora que você já sabe como sair das dívidas com esses 17 passos, é hora de agir para organizar sua vida e conquistar de uma vez por todas a tão sonhada independência financeira.

Liste todos os débitos, renegocie com seus credores e quite as dívidas mais caras em primeiro lugar, priorizando-as. Registrar as entradas e as saídas, envolver os familiares e cortar custos são outras atitudes importantes para manter as finanças em dia.

Educação financeira não é algo que se aprende de uma hora para outra. É preciso planejamento e estudo. Em alguns casos, o ideal é buscar ajuda especializada para organizar as finanças e mudar a forma como você lida com seu dinheiro — não só para entender como sair das dívidas, mas para realizar investimentos que permitirão alcançar sonhos grandes, como casa própria.

Acha que essas dicas ajudarão outras pessoas? Então, compartilhe este conteúdo com os amigos nas redes sociais agora mesmo.

banner-materiais-educativos-DESKTOP

Cadastre-se para receber atualizações por e-mail