Educação financeira: o que é preciso para ensinar os filhos?

Educação financeira: o que é preciso para ensinar os filhos?

A educação financeira é fundamental para formar pessoas que, no futuro, saberão gerenciar melhor seu dinheiro.

Principalmente quando falamos de uma sociedade em que o consumo se tornou irresponsável e as dívidas são apenas uma das consequências negativas dele.

No entanto, por meio de boas lições e práticas, você prepara seu filho para ter uma vida brilhante e segura.

Porém, diante de tantos valores invertidos e estímulos contrários, pode ser difícil filtrar os conteúdos aos quais os seus filhos estão expostos. Mas é possível conscientizá-los sobre a real importância da economia e da relação responsável com o dinheiro.

Neste post, compartilhamos várias dicas para ajudar os pais a prepararem seus filhos para lidar com as finanças de maneira equilibrada e positiva. Acompanhe!

A importância de ensinar educação financeira aos filhos

Educação financeira infantil

Educar os filhos financeiramente é fundamental para assegurar um futuro melhor e ensinar consciência financeira.

Por meio dos bons hábitos aprendidos na infância, eles se tornarão consumidores mais inteligentes. Consequentemente, conseguirão seguir uma vida de forma tranquila e saudável nesse aspecto tão importante.

Quando seus filhos crescerem, eles serão capazes de manter as contas no azul, de investir em bons ativos financeiros e de conquistar todos os sonhos e planos que estabelecerem.

Portanto, vale a pena fazer um esforço e começar a apresentar a importância do dinheiro desde cedo, para que se faça a boa gestão dele.

Quais são as principais dicas de educação financeira?

Existem boas formas de ensinar seus filhos a lidarem com o dinheiro de uma maneira saudável.

É possível usar brincadeiras, incentivar o uso da mesada de forma racional e apresentar lições valiosas, que eles se lembrarão quando adultos.

Abaixo, apresentamos as principais formas de educar seus filhos financeiramente. Acompanhe!

Estabeleça critérios para a mesada

A mesada é um tema bastante polêmico na educação financeira. Entretanto, muitos pais optam por dar aos filhos sem antes estabelecerem os critérios necessários para que esse recurso seja efetivo. Sobretudo no que diz respeito à administração do dinheiro.

É preciso definir não somente o valor da mesada e a sua periodicidade — se será, de fato, mensal ou semanal —. Mas também explicar aos seus filhos quais atitudes eles devem ter desde cedo em relação ao que ganham.

Para isso, é possível introduzir ensinamentos sobre como administrar o dinheiro. Incluindo as orientações sobre a prática de poupar para alcançar um objetivo de consumo.

Que tal dar um cofrinho para seu filho e incentivá-lo a economizar para comprar um brinquedo desejado?

Estimule a prática de poupar

À medida que seu filho conseguir economizar para comprar um brinquedo ou comprar os bilhetes do cinema, é fundamental que você reconheça essa conquista e o incentive. Isso vale para todas as faixas etárias!

O reforço positivo é muito importante no processo da educação financeira infantil, assim como o bom exemplo dado pelos pais. No entanto, as palavras perdem todo o peso se as atitudes não as confirmam.

Saiba que seus filhos estão sempre atentos ao seu comportamento e o tomam como base para as próprias atitudes.

Portanto, se você deseja ensinar que ser econômico é sinônimo de ter uma vida tranquila, equilibrada e sem privações, não pode chegar em casa todos os fins de semana com um par de sapatos novos.

Também não dá para trocar de celular a cada 6 meses ou ignorar medidas básicas de economia de água e luz.

Ensine sobre o consumo consciente

Educação financeira para crianças

Necessidade e desejo bem diferentes na experiência de compra. Na educação financeira dos filhos, é muito importante que os pais os levem a refletir sobre o que está por trás da compra de um brinquedo ou de uma roupa nova.

Isso ajuda a perceber quando algo realmente é necessário e quando é uma vontade que vai levar a um acúmulo dispensável.

Um caminho para isso pode ser o aprendizado sobre o valor do trabalho e sobre o quanto a conquista do dinheiro exige comprometimento e responsabilidade. Então, que tal usar as tarefas de casa para isso?

Remunere pequenos trabalhos domésticos

Uma forma de fazer os filhos entenderem que o dinheiro vem do esforço e do cumprimento das obrigações do trabalho é distribuir algumas tarefas da casa entre eles e estabelecer recompensas financeiras.

Arrumar a cama, retirar o lixo, levar o cachorro para passear, lavar a louça depois do almoço de domingo. Todas essas são tarefas simples, mas que podem ajudar muito na educação financeira infantil.

Conforme seus filhos associam o esforço à conquista da remuneração, eles têm a dimensão do dinheiro como resultado do próprio mérito.

Quando seu filho compreende a relação entre o trabalho e o dinheiro, fica mais fácil incentivar a criatividade e o empreendedorismo — tão importantes para que, na vida adulta, ele saiba encontrar oportunidades para fazer suas finanças prosperarem.

Incentive o empreendedorismo

Hoje em dia, o empreendedorismo infantil é um tema cada vez mais discutido no universo da educação financeira. Há diversas crianças aparecendo na TV com projetos inovadores que desenvolveram com os pais. Essa é uma ótima forma de ensinar!

Quanto mais cedo a criança for estimulada a usar a sua criatividade para solucionar pequenos problemas, mais fácil é a assimilação do comportamento empreendedor. Isso sem falar no desenvolvimento de habilidades como iniciativa, visão de futuro e persistência.

Sendo assim, os pais podem incentivar os filhos a buscarem alternativas lucrativas com a coleta de materiais recicláveis ou com atividades artesanais, por exemplo.

Embora possam parecer pouco eficazes, essas estratégias são bastante interessantes para encorajar os pequenos aprendizes e manter a motivação em alta.

Aposte em brincadeiras e jogos educativos

Quando os filhos parecerem desmotivados, brincar pode ser a resposta! De fato, é por meio da imitação e das brincadeiras que os pequenos aprendem as habilidades e os comportamentos necessários para uma vida adulta saudável. Inclusive no que diz respeito às finanças.

Existem livros e jogos sobre empreendedorismo e finanças especialmente desenvolvidos para estimular o aprendizado das crianças e dos adolescentes.

Lembre-se que a educação financeira é um processo contínuo

Para finalizar, uma última orientação muito importante, mas que nem sempre é lembrada pelos pais — sobretudo quando as dificuldades parecem maiores que as conquistas na educação financeira dos filhos —.

É preciso não perder de vista que, como qualquer aprendizado, a educação financeira é um processo contínuo, que deve acontecer junto à apresentação de valores corretos, sempre ilustrados no cotidiano.

Portanto, à medida que a capacidade de compreensão dos seus filhos se amplia, eles são capazes de aplicar as lições aprendidas e observar os resultados dos próprios atos. O resultado são comportamentos diferentes.

Contudo, para que isso aconteça, é fundamental adequar os ensinamentos oferecidos e as atitudes ensinadas à idade de cada filho.

Bem como às características de personalidade, tornando o conhecimento mais acessível e, até mesmo, divertido.

Vale usar exemplos como personagens de desenho animado e ler histórias infantis para envolver as crianças menores, ou assistir a filmes e séries de TV que ajudem a mostrar a importância do cuidado com as finanças com os filhos mais velhos.

Invista em ativos para as crianças

Existem várias alternativas de investimento que podem ser utilizadas para garantir um futuro melhor para o seu filho.

Atualmente, é possível fazer aplicações em previdência privada para menores. Além disso, você pode aportar dinheiro em ativos que possibilitem um bom retorno.

Para mostrar a importância dessas atitudes, vale a pena conversar e conscientizar os pequenos sobre a importância da poupança e dos investimentos.

Assim, você mostra, na prática, como essa ação consegue gerar impactos extremamente positivos.

Use a tecnologia para ensinar educação financeira

Os recursos tecnológicos estão cada vez mais presentes nas nossas vidas. Passamos boa parte do dia no celular, aprendemos por meio de vídeos no computador, interagimos com os amigos usando as redes sociais e muito mais.

Então, por que não recorrer à tecnologia para ensinar educação financeira aos pequenos? Há várias alternativas que você pode utilizar.

Por exemplo: é possível tirar um tempo de lazer e jogar games que envolvam aspectos financeiros, ou ensinar as crianças a controlar a mesada com um aplicativo no celular.

Com simples atitudes como essas, você pode melhorar o entendimento do que fazer com o dinheiro e, consequentemente, prepará-los para ter um futuro tranquilo e seguro no aspecto financeiro.

Quais produtos podem ajudar nessa tarefa?

O melhor produto que você pode oferecer aos seus filhos é o conhecimento e uma boa educação.

Ao ensinar tais dicas e mostrar, na prática, como uma boa gestão financeira pode proporcionar uma vida tranquila, você está incentivando as crianças e ensinando por meio do exemplo.

Além disso, vale a pena aportar dinheiro em uma previdência privada e em um seguro para garantir proteção e boas condições em caso de imprevistos.

Assim, mesmo que uma ocasião adversa aconteça, você assegura uma boa condição futura para seus filhos terem segurança financeira.

Viu como a educação financeira para crianças é fundamental? O importante é estabelecer um diálogo tranquilo com os filhos para que, à medida que cresçam, eles tenham a segurança necessária para cuidar do próprio dinheiro e conquistar seus objetivos pessoais e profissionais.

Quer saber mais sobre a educação financeira para crianças e adolescentes, e continuar a receber orientações especiais sobre planejamento financeiro? Então, assine a nossa newsletter e receba outros conteúdos por e-mail!

Cadastre-se para receber atualizações por e-mail