Desvendamos os 7 principais mitos sobre seguro de vida

Desvendamos os 7 principais mitos sobre seguro de vida

Existem diversos mitos sobre seguro de vida que são alicerçados na falta de conhecimento sobre o tema — muito em função do receio em se “pensar no pior”. No entanto, essas inverdades precisam ser derrubadas!

E é isso que nos propomos fazer neste post: apresentar os equívocos mais comuns sobre seguro de vida, mostrar por que é tão importante e explicar qual a melhor maneira de contratá-lo. Continue com a leitura e saiba mais sobre o assunto!

Os 7 mais comuns mitos sobre seguro de vida

Reunimos a seguir os 7 principais mitos sobre seguro de vida e apresentamos argumentos que comprovam o caráter falso dessas crenças. Confira!

Desvendamos os principais mitos sobre seguro de vida

1. Seguro de vida é caro

Muitos consumidores julgam mal o custo do seguro de vida e acreditam ser bastante dispendioso contratá-lo. Entretanto, ele pode ser acessível para muitas pessoas, dependendo da cobertura que se busca.

Você pode começar com uma política que atenda ao seu orçamento atual e, posteriormente, adquirir uma cobertura adicional. Não existe um preço fixo, e quanto menores os riscos aos quais você se expõe, menores serão os valores pagos.

2. Seguro de vida serve apenas para casos de morte

Talvez a nomenclatura seja a grande responsável por fazer com que as pessoas creiam que os seguros de vida cobrem apenas o falecimento do contratante. Contudo, não é bem assim.

Hoje, há seguros de vida no mercado que têm validade para casos de invalidez, doenças graves, internações hospitalares, afastamento temporário do trabalho etc.

Reiteramos aqui que, por ter diferentes coberturas, você deve avaliar o tipo de apólice adequada para seu caso antes de assinar contrato com a seguradora.

materiais educativos

3. Pessoas com doenças não podem contratar seguro de vida

Não existe nenhuma base legal para afirmar que pessoas acometidas por alguma doença são impedidas de contratar seguro de vida. Ou seja, isso é um mito.

O que acontece é que, no geral, as seguradoras solicitam um diagnóstico médico de seus clientes antes de determinar, por exemplo, os valores do seguro de vida.

Logo, certas doenças podem alterar o quanto você vai pagar, mas isso não o impedirá de fazer a contratação. A WinSocial, por exemplo, oferece seguro de vida para quem tem diabetes.

4. Seguro de vida é para jovens

Pensar que apenas quem é jovem precisa de um seguro de vida é algo insensato. Esse equívoco pode ser refutado com dados que comprovam o aumento da expectativa de vida no Brasil — a média chegará aos 80 anos em 2050, segundo estimativas do IBGE.

Portanto, tire esse mito da cabeça. Saber que poderá contar com a cobertura caso tenha um acidente, ou que deixará sua família tranquila caso venha a falecer, é alternativa que garante tranquilidade para pessoas de todas as idades.

5. Só herdeiros legais podem ser beneficiários de seguro de vida

Acreditar que um seguro de vida é um tipo de herança é outro ponto que precisa ser desmistificado. As vantagens dessa apólice não precisam ir exclusiva e necessariamente para herdeiros legais.

Você pode, por exemplo, destinar o valor da indenização a um amigo, a parentes que não fazem parte da sua família nuclear e até mesmo a uma fundação ou instituição de caridade.

6. Seguro de vida não pode ser cancelado

A noção de que os contratos de seguro de vida têm validez perpétua também é infundada. A verdade é que esse tipo de contrato pode sim ser modificado ou cancelado — inclusive com recebimento parcial do valor investido. Obviamente, você precisa avaliar a possibilidade de resgate antes de firmar contrato com a seguradora.

7. É difícil receber indenização de seguros de vida

A ideia de que as seguradoras têm suas margens de lucro ancoradas nas dificuldades que criam para indenizar seus clientes é bastante fantasiosa. Pensar assim é ignorar que existe uma legislação e que há cláusulas contratuais que devem ser seguidas à risca.

Na prática, o que acontece é que os prazos de indenização são estabelecidos em contrato. E, uma vez que o seguro é acionado, a seguradora apenas faz a verificação do ocorrido e dá andamento no processo indenizatório. Portanto, para que não haja desentendimento, avalie as cláusulas contratuais propostas pela seguradora antes de assinar o acordo.

Razões para investir em seguro de vida

Agora que você já entendeu os mitos relacionados ao seguro de vida, saiba por que é importante que esse investimento conste em seu planejamento pessoal.

Entenda os principais mitos sobre seguro de vida

Paz de espírito

A morte é algo inevitável, mas as preocupações em torno dela não podem tirar sua paz. Um seguro de vida vai deixar você e seus beneficiários mais tranquilos ao saber que não terão que se preocupar com as despesas imediatas de funeral, por exemplo.

Reembolso de despesas médicas e gastos com medicamentos

Bons seguros de vida reembolsam despesas hospitalares e também gastos com medicamentos. Essa garantia é essencial, uma vez que os valores despendidos com saúde são altíssimos no Brasil.

Possibilidade de resgates do valor investido

Como dissemos acima, existem os seguros de vida resgatáveis. Se você optar por essa alternativa, poderá solicitar uma parte do valor investido em vida. Observe, portanto, quais são as condições ofertadas pela seguradora (prazos, proporcionalidade do valor a ser recebido etc.).

Não incidência de tributos sobre o valor da indenização

Você sabia que o valor da indenização recebida pelos beneficiários não é deduzido o imposto de renda? Essa grande vantagem ainda é desconhecida por muitas pessoas.

Flexibilidade de inclusão e retirada de beneficiários

Mudar ou acrescentar pessoas para receberem a indenização do seu seguro de vida é mais simples que se possa imaginar. Se você pensa em ter mais filhos, por exemplo, não precisa se preocupar com as alterações a serem realizadas no seguro.

A melhor forma de contratar um seguro de vida

Os seguros de vida podem ser obtidos até mesmo pela internet, de maneira prática e segura. Mas seja de forma virtual ou presencial, você deve avaliar alguns pontos importantes antes de fazer a contratação:

• analise a reputação da seguradora e contrate uma empresa séria e sólida, com história no mercado, evitando surpresas desagradáveis;

• avalie as coberturas oferecidas e forneça todas as informações solicitadas, pois assim você encontrará o plano ideal para atender suas necessidades;

• leia com muita atenção as cláusulas contratuais e, se julgar necessário, mostre a um advogado ou consultor especializado em seguros.

Como você viu, não há motivos para seguir acreditando em determinados mitos sobre seguro de vida. Esperamos que este texto tenha ajudado você a entender melhor sua importância.

Quer saber ainda mais sobre o assunto? Baixe gratuitamente o guia completo sobre seguro de vida e tire todas as suas dúvidas. Aproveite!

seguro ideal