O que é custo de oportunidade? Conheça antes de fazer investimentos

O que é custo de oportunidade? Conheça antes de fazer investimentos

Saber o que é custo de oportunidade e como ele funciona é muito importante na hora de tomar decisões de investimento — mesmo que muitas vezes seja usado de maneira intuitiva pela maioria das pessoas. Isso porque cada vez que temos que tomar uma decisão que requer análise de alternativas diferentes o custo de oportunidade está sendo usado.

Não entendeu bem? Então calma que neste artigo vamos falar sobre o tema e abordar a importância de se entender seu conceito e, principalmente, como aplicá-lo no cotidiano. Assim, fica mais fácil para você tomar decisões que requerem planejamento e estratégia!

O que é custo de oportunidade?

Descubra o que é e como funciona o custo de oportunidade

De modo resumido, o custo de oportunidade pode ser definido como o preço que se paga ao decidir por uma alternativa em detrimento de outra. Apesar de parecer inicialmente complicado, esse conceito na verdade é bem simples, sendo muitas vezes utilizado até de maneira inconsciente.

Para exemplificar, vamos pensar em um profissional que após um longo período de trabalho passa a ter direito a alguns dias de descanso em uma viagem paga pela empresa. No entanto, ele tem um evento familiar importante que vai acontecer no mesmo período.

Na hora de escolher entre descansar com tudo pago e comparecer no evento da família, essa pessoa certamente vai ponderar com calma e analisar todos os prós e contras de cada opção disponível.

Ao tomar sua decisão, ela abrirá mão da outra opção, certo? Nesse momento, ela usará o conceito de custo de oportunidade mesmo que de modo intuitivo, uma vez que pagou um preço pela escolha que fez. Existem diferentes tipos de custo de oportunidades, entre os quais estão:

• escondido: corresponde ao custo de oportunidade que não está explícito, ou seja, a percepção do custo se encontra camuflada;

• aberto: corresponde ao custo de oportunidade que não considera o conceito de embutimento ou camuflagem de custos sob as máscaras contábeis diversificadas;

• contábil: corresponde ao planilhamento em forma contábil de um custo camuflado ou aberto;

• ambiental: corresponde ao custo de oportunidade diante de potencial máximo oferecido pelo uso de determinado recurso natural.

Por que o custo de oportunidade é importante?

O custo de oportunidade é importante porque possibilita que as consequências de determinada decisão possam ser analisadas e mensuradas antes da definição completa.

Na área de negócio, esse conceito ganha papel de destaque, uma vez que uma escolha errada pode ter sérias consequências e ocasionar perdas significativas de oportunidade e retornos.

Por mais que alguns investidores ainda insistam em apostar no “fator sorte” na hora de decidir qual a melhor aplicação, essa não é uma postura indicada — sendo inclusive arriscada e pouco recomendável.

Assim, o mais correto é fazer uma planilha e anotar todos os pontos positivos e negativos de determinada decisão e, somente a partir da análise dessas informações, chegar a uma conclusão definitiva.

Podem ser analisados pontos como potencial de valorização, riscos envolvidos, segurança na aplicação, etc — sempre a partir de uma visão ampla e realista das condições do momento. Quanto mais informação o investidor tiver, maiores serão as chances de sucesso e proporcionalmente menores as de erros e prejuízos.

Como o custo de oportunidade pode ser calculado?

Saiba como calcular o custo de oportunidade

Não existe uma fórmula certa para calcular o custo de oportunidade, já que cada caso é analisado de modo individual. Porém, quando se fala em investimentos, existem duas métricas principais que podem ser levadas em consideração: o CDI e a taxa Selic.

A Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira e serve como norte para todas as demais taxas cobradas pelo país. Um exemplo que pode ser usado para comparar o custo de oportunidade relacionado à Selic é o Tesouro Direto, já que essa aplicação tem seu rendimento atrelado à taxa básica.

Na prática, isso quer dizer que se você optar por investir seu dinheiro em renda fixa e o retorno não for de acordo com as projeções iniciais, você pode fazer a comparação com o que poderia ter sido ganho caso tivesse optado pelo Tesouro Direto — e esse cálculo nada mais é do que o seu custo de oportunidade.

Já no caso do CDI (Certificado de Depósito Interbancário), a taxa cobrada acompanha as oscilações da Selic de perto, servindo de referencial para a remuneração de vários investimentos de renda fixa, como a Letra de Câmbio e o CDB.

Para exemplificar esse caso, vamos pensar em um investidor que fez opção pela poupança na hora de aplicar seu dinheiro e teve um retorno mensal de 0,5% somados à Taxa Referencial do período.

Na hora de saber o custo de oportunidade, é preciso calcular o rendimento da poupança e compará-lo com o que poderia ter ganhado caso tivesse aplicado em um investimento de renda fixa, como o CDB.

Existem CDBs que apresentam rendimento superiores a 115% do CDI, o que corresponde a um patamar de retorno bem maior que o da poupança. Para ajudar nesses cálculos, o Banco Central disponibiliza uma ferramenta chamada Calculadora do Cidadão, que simula operações financeiras do cotidiano, com base nas informações que fornecidas pelo investidor.

Esse cálculo pode ser usado de referência para situações verídicas, já que trabalha com valores oficiais. Na calculadora é possível ter informações sobre financiamentos com parcelas fixas, correção de valores, aplicação com depósitos regulares, valor futuro de capital e comparativo de pagamento da fatura do cartão de crédito parcial ou total.

Neste artigo, falamos sobre o que é custo de oportunidade, assim como sua importância e influência na hora de tomar boas decisões tanto financeiras quanto pessoais. Entender bem esse conceito e saber como aplicá-lo de maneira estratégica é um ponto positivo, que pode trazer muitos benefícios em diversas áreas.

Agora que você já conhece o que isso significa, que tal aprofundar seus conhecimentos e baixar nosso ebook para conferir dicas exclusivas e fazer bons investimentos? Até mais!

  • Publicado

    06 de setembro de 2018

  • Categoria

    Educação Financeira

  • Tags Relacionadas

    Investimentos

Cadastre-se para receber atualizações por e-mail