Seguro de vida: tudo que você precisa saber

Seguro de vida: tudo que você precisa saber

A vida é cheia de imprevistos e, embora isso seja sinônimo de possibilidades, também traz algumas preocupações — entre elas as que fogem ao nosso controle.

E se disséssemos que é possível substituir essa preocupação pela ocupação? A diferença entre elas é básica: na primeira, você emprega sua energia onde ela não pode ser aproveitada; na segunda, direciona para onde pode.

Ocupar-se, então, quer dizer cuidar do presente para construir um futuro melhor. Nesse processo, são muitas as perguntas que você pode se fazer tendo como horizonte o que deseja para si e para aqueles que ama daqui a alguns anos.

Como garantir o meu padrão de vida? Como manter minha família protegida? Como assegurar a existência de recursos para lidar com possíveis adversidades?

É claro que não há uma resposta única para esses questionamentos. Mas você já parou para pensar que um seguro de vida é abrangente o bastante para garantir todos esses benefícios?

Você pode pensar algo como “sou muito jovem para pensar nisso”, ou “pra quê um seguro de vida se tenho saúde?”. Saiba que a recomendação para buscar a cobertura de um seguro de vida não é pensar no pior. Pelo contrário! Buscar segurança hoje dá liberdade e tranquilidade para viver à espera do melhor sempre!

Se você também tem essas dúvidas, mas não sabe como um seguro de vida pode ajudá-lo, fique tranquilo. Preparamos este post com tudo que precisa saber antes de contratar um plano. Vamos lá?

O que é um seguro de vida?

Um seguro de vida é um serviço que visa garantir proteção financeira diante da ocorrência de algum imprevisto.

No caso de morte do segurado, os beneficiários indicados por ele recebem uma indenização. Eles podem ser herdeiros, parentes de qualquer grau ou até mesmo amigos, que não são da família.

Por outro lado, caso o contratante esteja em condições que o impeçam de trabalhar, por exemplo, o seguro pode ser usado por ele mesmo em vida. O mesmo pode acontecer em caso de uma doença grave ou cirurgia coberta pelo plano, por exemplo.

Para ter essa proteção, é necessário adquirir uma apólice. Feito isso, deverá ser efetuado um pagamento — único ou dividido em parcelas, que podem ser mensais — para garantir que, quando acontecer alguma fatalidade, será disponibilizado o dinheiro em questão.

Como funciona um seguro de vida?

Basicamente, um seguro de vida funciona com base em um contrato entre o segurado e a seguradora. A abrangência do plano e os valores a serem pagos são definidos no momento em que o contrato é firmado.

Contudo, existe a possibilidade de modificar a cobertura ou seus beneficiários durante o período de vigência do seguro, de modo a personalizar esse serviço em função das suas necessidades.

Em suma, quando algum dos casos cobertos pelo seguro de vida se concretiza, o segurado ou seus beneficiários acionam a seguradora e ela envia, geralmente por e-mail, um documento chamado aviso de sinistro, que deve ser preenchido e devolvido junto com os documentos listados — que variam conforme a seguradora e o tipo de ocorrência.

Os prazos para análise e efetivação do pagamento da indenização são previamente definidos entre as partes, mas geralmente giram em torno de 30 dias.

materiais educativos

O que é a apólice do seguro de vida?

apólice de seguro de vida corresponde ao contrato firmado com a seguradora. Esse é o documento mais importante quando se fala na contratação de um seguro, visto que nele serão definidas todas as condições relacionadas ao pagamento do benefício.

Uma vez que o contrato seja assinado, ele só pode ser modificado fazendo uma nova apólice. Esse documento é responsável pela segurança tanto de quem contrata, como também da seguradora que oferece essa proteção.

A apólice é firmada mediante uma análise dos riscos que o segurado oferece para o negócio. Dependendo das condições, a proposta pode ser aceita ou recusada. Em caso de aceite, o contrato é firmado de maneira definitiva.

O que é o sinistro do seguro de vida?

No vocabulário dos seguros, o sinistro é o acontecimento elencado na apólice adquirida pelo segurado. Abordaremos mais à frente quais os sinistros que, se concretizados, têm cobertura pelo seguro de vida.

De maneira geral, é importante reforçar para a seguradora, na hora de contratar um seguro de vida, quais sinistros se quer ter cobertura. O ideal é que a empresa tenha flexibilidade para organizar um plano que vá ao encontro das necessidades do cliente.

Quais os itens presentes no contrato do seguro de vida?

É importante compreender quais são os termos presentes no contrato para ter uma ideia mais completa sobre o que envolve contratar um seguro de vida. Acompanhe os principais!

Valor da apólice

O valor da apólice ou do capital segurado corresponde ao valor que será recebido pelos beneficiários do seguro de vida no caso de ele ser acionado. Esse valor pode ser fixo da seguradora ou definido de maneira personalizada.

Valor do prêmio

O valor do prêmio corresponde à prestação que deve ser paga pelo titular do seguro. Em geral, o prêmio aumenta à proporção do risco.

Perfil do titular

Para fazer uma análise de risco, a seguradora coleta informações para montar um perfil do titular. Nesse caso, são feitas perguntas sobre estilo de vida, hábitos do cotidiano e problemas de saúde. Assim, é mais fácil definir quais as doenças preexistentes à contratação e qual é o seu risco para a saúde do segurado.

Coberturas

As coberturas indicam em quais casos a indenização será paga e definem, também, quais são os valores para cada evento. Além disso, serve para determinar as condições concretas e excludentes para que o pagamento seja realizado.

Beneficiários

Outra parte muito importante de uma apólice é a definição dos beneficiários. Ela é feita pelo titular e não precisa incluir, necessariamente, o cônjuge e/ou os filhos.

Porém, é importante notar que, em caso de falecimento, os beneficiários estabelecidos do contrato serão os que vão receber o dinheiro, independentemente de uma possível mudança de vontade não notificada.

Sendo assim, você deve garantir que os beneficiários estejam sempre atualizados, o que garante que, em qualquer eventualidade, as pessoas certas recebam a indenização.

Cancelamento da apólice

São definidas, ainda, as condições que permitem o cancelamento da apólice — tanto por parte do titular quanto da seguradora. Para isso, devem ser estabelecidos prazos para o cancelamento e também razões que podem levar ao encerramento do contrato por parte da seguradora.

Por que contratar um seguro de vida?

Essa contratação não é um supérfluo. Pense em todas as garantias que o seguro de vida pode oferecer para você e sua família. A seguir, listamos alguns dos motivos pelos quais é vantajoso contratar essa proteção financeira. Confira:

Segurança

O seguro de vida é uma forma indispensável de proteção financeira, porque garante os recursos necessários para lidar com situações delicadas ligadas a fatalidades e outras situações imprevistas, principalmente ligadas à saúde.

Personalização

Outra possibilidade interessante do seguro de vida é que ele pode ser personalizado. Você consegue escolher qualquer pessoa que desejar como beneficiária.

Além disso, dá para escolher a cobertura e o capital segurado mais indicados para você. Isso impede que a contratação seja cara ou complicada. Em vez disso, ela é específica para atender às suas demandas.

Recebimento do valor sem burocracia

Uma vez que o seguro de vida é acionado, o processo corre sem burocracia. Depois que você envia os documentos que comprovam o que ocorreu, a seguradora faz a devida avaliação e os recursos são liberados rapidamente.

Os beneficiários, por exemplo, não precisam esperar inventário ou partilha de bens, que podem ser bastante demorados. Além disso, o seguro de vida é isento de Imposto de Renda, o que evita complicações na hora de declará-lo, por exemplo.

Que benefícios são garantidos para quem contrata seguro de vida?

Saiba qual é a idade ideal para contratar seguro de vida

Além dos já citados, um dos principais benefícios do seguro de vida é o recebimento dos recursos nas situações estabelecidas pela apólice. Caso nenhum aspecto seja descumprido, a liberação do dinheiro acontece normalmente.

Também há como garantia o fato de que só aqueles colocados por você como seus beneficiários poderão receber o dinheiro, e mais ninguém. Como o seguro de vida nada tem a ver com partilha de herança, ninguém, exceto as pessoas escolhidas por você, podem solicitar e receber o dinheiro.

Outro benefício é que não há incidência de imposto para quem recebe uma indenização de seguro de vida. No entanto, é preciso declarar os valores recebidos no Imposto de Renda.

Quais são as diferenças entre seguro de acidentes pessoais e seguros de vida?

Muita gente confunde um seguro de acidentes pessoais com seguro de vida. Entretanto, existem algumas diferenças substanciais entre esses dois tipos de apólice.

No seguro de vida há a garantia de indenização para morte (acidental ou natural). Já no seguro de acidentes pessoais a seguradora cobre apenas mortes causadas por acidentes.

Outra diferença está no cálculo do prêmio, que é diferenciado entre esses dois tipos de seguros. O seguro de acidentes pessoais não faz distinção entre segurados idosos e jovens, ou seja, o valor não varia conforme a idade do contratante.

Que planos estão disponíveis em um seguro de vida?

O seguro de vida pode oferecer diversos planos na contratação, como é o caso de seguro de acidente pessoal, familiar ou individual. Entenda cada um deles a seguir.

Seguro de acidente pessoal

Esse plano é voltado para quando o segurado tem algum tipo de acidente fora do ambiente de trabalho. Pode ser tanto uma ocorrência que o deixe incapacitado como uma que leve ao seu falecimento.

Com ele, há ainda mais segurança para evitar que a família fique desprotegida em um momento de necessidade.

Seguro de acidente individual

O seguro de acidente individual tem como principal objetivo proteger o segurado, de maneira completamente individual. Assim, caso o contratante sofra um acidente com a família, por exemplo, somente ele fica protegido pela cobertura da apólice.

Claro, essa é uma opção geralmente recomendada para quem é solteiro e não tem dependentes.

Seguro de acidente familiar

O seguro de acidente familiar, por sua vez, serve para proteger toda a família contra ocasionalidades. Esse tipo de seguro, em geral, estende-se tanto ao titular como também ao cônjuge e aos filhos.

Quais os tipos de cobertura existentes em um seguro de vida?

Na hora de fazer um seguro de vida, você também vai se deparar com diferentes possibilidades de cobertura. As apólices para casos de falecimento são básicas, e nenhum plano pode ser contratado sem incluí-las.

Nesse caso, pode-se optar tanto pela cobertura contra morte por doença quanto por acidente, e ainda destinar valores diferentes a cada uma delas. Veja abaixo, em detalhes, algumas das opções oferecidas pelo seguro de vida!

Diária por Incapacidade Temporária (DIT) com LER, DORT e hérnias

Essa cobertura contempla a impossibilidade do contratante de trabalhar durante um período por causa de uma doença ou acidente que seja coberto pelo seguro — como Lesão por Esforço Repetitivo (LER), Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho (DORT) ou Hérnias. Diante dessa situação, receberá uma diária enquanto estiver em tratamento, até o limite de diárias contratado.

Diária por Internação Hospitalar (DIH)

Caso fique impossibilitado, por período temporário, devido à doença ou acidente coberto, o contratante receberá uma indenização para cada dia de internação hospitalar com base no valor contratado.

Doenças graves

Se for realizado o diagnóstico definitivo de uma das doenças graves cobertas pelo plano, o segurado receberá o valor contratado para iniciar o tratamento médico ou utilizar o dinheiro de acordo com a sua preferência.

Extensão de cobertura para o cônjuge

Caso o cônjuge venha a faltar, ou se foi escolhida a opção de contratação da cobertura adicional para ele, os seus dependentes estarão protegidos.

Invalidez Permanente Total ou Parcial por Acidente (IPA)

A IPA é válida para acidentes que gerem invalidez parcial ou total, de maneira definitiva. É o caso de um acidente de trabalho, que comprometa certos movimentos, por exemplo.

Invalidez Permanente Total por Acidente (IPTA)

Essa cobertura existe para quem está sujeito a muitos acidentes que podem causar invalidez permanente, como eventos nos quais a pessoa fique dependente de alguém até para se locomover.

Invalidez Funcional Permanente Total por Doença (IFPD)

Com IFPD, a pessoa fica protegida contra a invalidez funcional permanente total, em caso de doença.

Invalidez Funcional Permanente Total por Doença Antecipação (IFPDA)

Algumas enfermidades mais graves também podem impedir o segurado de trabalhar ou gerar dificuldades para a manutenção financeira da família. Sendo assim, há a cobertura em caso desse tipo de doença.

Invalidez Permanente Total ou Parcial por Acidente com Majoração (IPAM)

Ao sofrer um acidente que cause perda parcial ou total de membro ou órgão, o segurado receberá indenização caso não seja mais capaz de realizar sua antiga atividade profissional.

Seguro de Assistência Funeral (SAF)

SAF garante a realização ou pagamento das despesas do funeral até o limite contratado em caso de sua morte, de seu cônjuge e filhos menores de 21 anos, conforme plano escolhido (individual ou familiar). A prestação de serviço é feita por profissionais experientes, que cuidam de todos os procedimentos em um momento delicado.

Como escolher um plano de seguro de vida?

Como as coberturas oferecem diversas possibilidades, é recomendado escolher um plano de acordo com as suas demandas pessoais. Nesse caso, é necessário considerar quais são os riscos a que você está mais exposto em sua vida e quais são os pontos que merecem mais atenção.

Caso você realize um trabalho que envolva o contato com substâncias inflamáveis, por exemplo, é importante pensar tanto na cobertura de morte por acidente como também naquelas relacionadas à invalidez permanente ou temporária por possíveis acidentes.

Já se você tiver um histórico de doenças graves na família (como de câncer ou doenças degenerativas), vale incluir essa cobertura no seu plano. Esse tipo de decisão precisa ser tomada pensando no seu futuro e também no de quem depende de você.

Como contratar um seguro de vida online?

As facilidades da modernidade chegaram ao mercado de seguros, e hoje já é possível fazer a contratação de um seguro de vida sem sair de casa. Via internet, boas seguradoras já oferecem essa comodidade. Na MAG Seguros, por exemplo, você consegue efetuar a compra em menos de dez minutos.

Mas, como proceder com a contratação online de um seguro de vida? Primeiramente, certifique-se de que você tem RG e CPF em mãos. Também é importante pensar antecipadamente sobre quais beneficiários vai cadastrar — caso eles não sejam especificados, os herdeiros legais (filhos, cônjuge, pai, mãe… conforme a hierarquia familiar) são automaticamente beneficiados em caso de sinistro.

Uma dica interessante é fazer a cotação do seguro antes de adquiri-lo. Na MAG Seguros, a Simulador do Seguro Ideal é feita de maneira bastante rápida, o que facilita muito, pois o cliente pode tirar dúvidas via internet para facilitar sua escolha.

Normalmente, a emissão da apólice é realizada até 15 dias depois de efetivada a contratação. E, obviamente, a seguradora faz uma análise de riscos e, em alguns casos, pode recusar o pedido.

Qual a idade ideal para contratar um seguro de vida?

Conforme a idade avança, as chances de falecimento do contratante de um seguro de vida aumentam, assim como a iminência do pagamento pela seguradora.

Se uma pessoa de 90 anos pudesse contratar um seguro de vida sem carência, por exemplo, seria possível que ela quitasse apenas algumas parcelas até que o benefício tivesse que ser pago. Isso, inclusive, poderia levar a fraudes deliberadas do sistema.

Justamente para evitar esse tipo de ação é que os seguros de vida têm um limite de idade. É comum que algumas coberturas já não estejam disponíveis a partir dos 70 anos ou que o processo depois dos 70 fique mais complexo.

Ao mesmo tempo, quanto mais cedo você contrata um seguro, menor é o valor que precisará pagar, pois menor é o risco de falecimento. Sendo assim, vale a pena refletir sobre a idade ideal para contratação.

Contratar aos 40 anos, por exemplo, é bem mais vantajoso do que contratar aos 50. Da mesma forma, contratar aos 30 tende a ser mais barato do que aos 40, e assim por diante.

Logo, a idade ideal para contratar o seu seguro de vida é o mais cedo possível! É bom lembrar que, geralmente, quanto mais jovem, menos dinheiro você tem guardado. Por isso, se acontecer uma emergência, é mais difícil enfrentá-la financeiramente.

Além disso, fazer um seguro de vida o quanto antes garante que você esteja protegido por um período bem maior da sua vida, diminuindo o impacto que imprevistos podem ter em seu cotidiano.

Qual o custo-benefício de um seguro de vida?

Por falar no aspecto financeiro da contratação, não é incomum avaliar o seguro de acordo com o valor do prêmio. Como dissemos, muitas pessoas ainda o encaram como sendo um luxo no orçamento.

Porém, esse é um mito! A verdade é que ele é muito mais do que isso, em razão de seu custo-benefício. Em primeiro lugar, não dá para saber o que vai acontecer no futuro. Sendo assim, contratar esse serviço é uma forma de diminuir os riscos em relação à sua vida e se precaver em várias outras situações.

Em segundo lugar, sem um seguro de vida, sua família pode ficar em dificuldades. No caso de falecimento, ela pode perder o padrão de vida sem algum tipo de auxílio. Com o seguro, por outro lado, é possível garantir que todos fiquem protegidos.

Em resumo, a contratação de um seguro de vida oferece mais do que dinheiro — oferece tranquilidade e confiança no futuro, e isso eleva em muito o custo-benefício deste serviço. Assim, ainda que o serviço seja mais caro que outros seguros de maneira geral, o que pode ser mais importante do que a sua vida e a proteção de quem você ama?

Quais são as principais regras do seguro de vida?

Na hora de contratar um seguro de vida, é importante ter atenção a algumas regras. Elas vão desde a idade do contratante até sua profissão, passando pela escolha dos beneficiários, cobertura etc.

Também é importante olhar para quais riscos não são cobertos, qual o âmbito geográfico da cobertura, carências, tempo de vigência, capital segurado, atualizações monetárias, entre outros aspectos.

Se não se sentir 100% preparado para analisar o contrato, recomenda-se buscar auxílio de um advogado ou de um especialista em seguros para sanar todas as suas dúvidas.

Quais cuidados tomar ao contratar um seguro de vida?

O maior cuidado a ser tomado na hora de contratar um seguro de vida é escolher uma boa seguradora. Como, na maioria das vezes, o processo acontece sem que você esteja presente para resolver as questões, é fundamental que a empresa escolhida seja de inteira confiança.

Somente assim você poderá garantir que os seus beneficiários não tenham maiores dificuldades em receber o valor contratado. Além disso, fazer uma boa escolha evita problemas sérios como fraudes.

Outro cuidado importante é definir adequadamente as condições do seguro. Em primeiro lugar, é preciso escolher corretamente quais são as coberturas necessárias de acordo com a sua realidade.

Depois disso, é fundamental escolher o valor mais indicado. Para tanto, você deve calcular com o quanto contribui para os seus beneficiários e qual é o valor ideal para garantir tranquilidade para que eles possam se estabelecer.

Se você garante um padrão de vida de R$ 5 mil para a sua família e deseja que, em caso de falecimento, eles possam ter segurança por 10 anos, o valor mínimo da sua apólice tem que ser de R$ 600 mil.

Nesse cálculo, é necessário escolher um prêmio que caiba no seu bolso. Não adianta ter um seguro completo e de alto valor se você não vai conseguir bancá-lo, pois a falta de pagamento pode desobrigar a seguradora de realizar a concessão do valor para os beneficiários.

Por fim, na hora da contratação também é essencial ser completamente honesto ao responder às perguntas em relação ao seu perfil de saúde. Do contrário, ao acionar o seguro, a seguradora pode considerar que você burlou o sistema e se negar a oferecer os recursos que seriam de direito.

Como escolher a seguradora ideal?

Ficou claro que a escolha da seguradora é um aspecto primordial, certo? E como você viu, pode até parecer atrativo escolher a empresa que oferece o prêmio mais barato, mas, na verdade, isso pode colocar em risco o custo-benefício da apólice. Por isso, é preciso levar alguns pontos em consideração na hora da contratação.

Experiência de mercado

Quanto mais tempo de mercado uma seguradora tiver, maior é a segurança que ela pode oferecer. Por isso, busque uma empresa que tenha uma trajetória consolidada na oferta de seguros de vida.

O ideal é acompanhar a situação da empresa nos órgãos do Sistema Nacional de Seguros Privados — Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP), Superintendência de Seguros Privados (SUSEP) e Instituto de Resseguros do Brasil (IRB Brasil RE) — que regulam e fiscalizam as seguradoras.

Isso significa solidez e mais segurança de que, no futuro, ela estará ao seu lado! Até porque não existe coisa pior do que acionar a seguradora e descobrir que ela não está em condições de cumprir com o contrato.

Condições do seguro

As condições oferecidas no seguro de vida, em geral, variam de uma seguradora para outra. Enquanto os bancos disponibilizam opções limitadas e nem sempre tão vantajosas, as empresas especializadas nesse serviço têm expertise e oferecem uma abordagem completa, o que é valor incomparável na hora da sua escolha.

Portanto, busque conhecer a fundo as condições ofertadas para eleger aquela que realmente atenderá suas necessidades. E só assine o contrato depois que entender todas as cláusulas e condições do seguro.

Indicações de outras pessoas

Ter como referência a experiência de outras pessoas também é vital quando você deseja contratar uma seguradora. Embora experiências positivas não sejam garantias de que tudo ocorrerá bem para você, é muito melhor confiar em uma seguradora com ótimas indicações, já que suas chances de ficar satisfeito e protegido são maiores.

Converse com parentes e amigos e veja o que eles indicam. Olhe também para o que as pessoas estão dizendo na internet. Ao avaliar uma seguradora, por exemplo, veja como ela é descrita em portais de reclamação de consumidores.

Como você viu ao longo deste artigo, o seguro de vida é um tipo de investimento em proteção financeira que oferece muita segurança ao contratante e à sua família.

E, diferentemente do que muitos imaginam, têm cobertura não apenas em caso de falecimento, mas também em outros tipos de sinistros que, quando acontecem, costumam trazer dor de cabeça e promover abalos emocionais, além de serem bastante dispendiosos.

O funcionamento de um seguro de vida também é bem mais simples do que diz o senso comum. Nos últimos anos, essa modalidade tem se popularizado no Brasil, o que é muito bom, pois mostra maturidade da nossa população.

Antes de contratar um seguro de vida, no entanto, é fundamental olhar para as suas necessidades e compreender que tipo de apólice é mais importante para você. Além disso, é necessário definir condições como o valor a ser recebido, o valor do prêmio e os beneficiários.

E lembre-se: escolher uma boa seguradora faz toda a diferença! Essa é uma relação de longo prazo, o que significa que é preciso contar com uma empresa bem estruturada e de credibilidade no mercado. É importante frisar, ainda, que esse é o tipo de serviço no qual o barato pode sair caro.

Diante de tudo isso, constatamos que é possível usufruir das vantagens do seguro de vida, que vão desde a tranquilidade até a proteção total dos seus beneficiários, elevando o custo-benefício desse tipo de contratação.

O que achou do nosso conteúdo? Viu como seguro de vida é importante para a sua proteção financeira e da sua família? Contrate um seguro de vida agora mesmo!

consultoria 1