Retorno ao trabalho pós-quarentena: como as empresas podem garantir a segurança das equipes?

Retorno ao trabalho pós-quarentena: como as empresas podem garantir a segurança das equipes?

Após um longo período de quarentena, muitos governos flexibilizam a abertura do comércio e já garantem a retomada de atividades. Ainda sem previsão exata para a vacinação contra a Covid-19, entretanto, gestores se preocupam com o retorno ao trabalho.

Diante desse cenário, em especial os setores que lidam diretamente com o público precisam planejar em detalhes as novas políticas e os modos de operar do negócio. Afinal, a contaminação da equipe, além de comprometer a saúde dos funcionários e dos clientes, pode tornar ainda mais inviável a volta ao trabalho em função do afastamento necessário.

Para que você saiba os cuidados indispensáveis a fim de manter e prevenir ao máximo o contágio na empresa, separamos alguns procedimentos importantes nesse sentido. Confira o que é possível fazer para garantir a segurança e a saúde do time!

Disponibilizar materiais de higiene e EPIs

Veja medidas de segurança para o retorno ao trabalho com segurança

A principal forma de contágio do novo coronavírus é pelo contato direto com secreções de pessoa contaminada. Para evitar a doença, portanto, o uso de máscara é indispensável no retorno ao trabalho.

É de responsabilidade da empresa, nesse caso, garantir a disponibilidade de equipamento de proteção individual (EPIs) para que todos os colaboradores utilizem o material e possam trocá-lo com certa frequência.

Para quem lida diretamente com o público, inclusive, é interessante providenciar viseira protetora, de modo a reduzir os riscos.

Vale lembrar, ainda, da importância de manter abastecido o estoque com itens de higiene, especialmente com o álcool 70% e sabonetes para que os funcionários lavem as mãos várias vezes ao longo do dia.

Para saber quais produtos são essenciais, vale conferir as recomendações da OMS (Organização Mundial da Saúde) e do Ministério da Saúde.

Redobrar a desinfecção do ambiente no retorno ao trabalho

Outra medida importante para garantir a segurança das equipes é redobrar a desinfecção do ambiente e dos móveis. É preciso ter atenção especial com aqueles objetos de uso compartilhado, como computadores, cadeiras e telefones. Isso porque, depois da transmissão pela via respiratória, as superfícies são uma das maiores vilãs na propagação do vírus.

Sendo assim, além de orientar os funcionários para que evitem levar as mãos ao rosto, é fundamental solicitar auxílio do time para, ao longo do dia ou durante alguns intervalos, higienizar esses focos de contaminação na estação de trabalho com um pano e um desinfetante. Uma dica para otimizar a limpeza do ambiente é colocar tapete sanitizante na entrada do estabelecimento.

Espaçar as estações de trabalho de cada colaborador

Sendo a transmissão por via respiratória a que mais provoca riscos, espaçar as estações de trabalho deve estar na lista de prioridades da empresa. Recomenda-se o afastamento de, no mínimo, 2 metros entre os funcionários. Se necessário, portanto, adapte os setores temporariamente para evitar aproximações e aglomerações desnecessárias.

Caso não seja possível tomar essa medida, seja em razão do número de colaboradores, seja pelo espaço físico disponível, verifique a possibilidade de revezamento diário entre funcionários que trabalham em modo presencial e em home office. É importante lembrar, ainda, que essas estações devem ser ventiladas para que o ar circule independentemente do número de pessoas.

Criar um manual de boas práticas

É provável que, ao retomar as atividades com a equipe, alguns funcionários não estejam cientes ou habituados a determinados procedimentos de segurança. Por esse motivo, vale a pena criar um manual de boas práticas e conversar com as equipes para esclarecer mitos e verdades sobre o coronavírus. Assim, será possível contar com todos para que as precauções adotadas sejam eficazes desde o primeiro dia de retorno.

Além de elaborar uma cartilha, otimizar a comunicação interna também pode trazer bons resultados e deixar todos da empresa em alerta contra a Covid-19.

Distribuir cartazes nos setores e deixar pôsteres à mostra, por exemplo, será bastante educativo para lembrar como higienizar as mãos e utilizar os equipamentos de proteção individual disponibilizados.

Aferir a temperatura e testar a equipe

Aferir a temperatura dos funcionários é uma das medidas de segurança no retorno ao trabalho. Saiba mais!

Uma preocupação que o empregador deve ter no retorno ao trabalho diz respeito à possibilidade de existirem casos suspeitos da Covid-19 no estabelecimento ou de algum funcionário apresentar sintoma da doença.

Nesses casos, é preciso ter um protocolo rígido para que, em hipótese de confirmação, tanto o funcionário quanto o restante da equipe se mantenham protegidos.

Diante desse cenário, o oferecimento de testes pela instituição constitui medida importante para garantir a segurança. Outra medida preventiva interessante é a aferição de temperatura corporal dos colaboradores pelo menos duas vezes ao dia. Assim, será possível conceder temporariamente o afastamento do trabalho àqueles que marcam acima dos 37,3º e evitar o contágio em massa no negócio.

Oferecer condições especiais ao grupo de risco

É comprovado que um grupo de pessoas, em razão da idade ou de comorbidades, está mais vulnerável aos efeitos da Covid-19. Em termos práticos, está mais propenso a evoluir para a forma grave da doença.

Tendo isso em vista, é fundamental que a empresa considere flexibilizar algumas regras para o retorno de quem se encontra no grupo ou tem familiar próximo nessas condições.

Possibilitar o home office com horários flexíveis, por exemplo, permite que os funcionários do grupo de risco permaneçam em casa a maior parte do tempo. Para tanto, vale fazer um mapeamento prévio dos colaboradores que se inserem nesse critério, de modo a evitar a sua presença física enquanto a Covid-19 for realidade.

materiais educativos

O retorno ao trabalho após a quarentena, que se fez necessária para reduzir o contágio da Covid-19, tem sido motivo de preocupação dos gestores. Afinal, além de readaptar o ambiente corporativo para cumprir os protocolos de segurança, é preciso pensar nos casos suspeitos que possam surgir, especialmente entre os que estão no grupo de risco.

Nesse sentido, vale a pena verificar a possibilidade de redistribuir as atividades para que esse grupo permaneça em home office. Além disso, é importante pensar em processos da empresa que podem ser realizados virtualmente, como reuniões e tarefas administrativas.

Sem dúvidas, é tempo de reformular o modo de operar do negócio para que todos se mantenham seguros no retorno ao trabalho.

mag-banner-blog-bemestar-980x118-animado02-v06

  • Publicado

    29 de setembro de 2020

  • Categoria

    Longevidade

  • Tags Relacionadas

    Saúde