Saúde do idoso: os cuidados para ter tranquilidade na terceira idade

Saúde do idoso: os cuidados para ter tranquilidade na terceira idade

Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a expectativa de vida do brasileiro aumentou para 76,3 anos. Isso é um bom sinal: a população está vivendo mais. No entanto, isso nem sempre significa ter mais qualidade de vida ou bem-estar. Por isso, é importante que as famílias e as autoridades fiquem atentas a como cuidar da saúde do idoso.

Aliás, o bem-estar influencia diretamente a qualidade de vida e a longevidade de pessoas na terceira idade. E quando falamos desse tema, não nos referimos apenas a aspectos físicos, como remédios, exames ou consultas médicas. Cuidar do idoso relaciona-se também com ações que promovam a saúde mental do indivíduo.

Por isso, reunimos neste artigo diversos aspectos relevantes sobre os cuidados com a saúde do idoso. Entenda quais fatores interferem em seu bem-estar e quais são as principais decisões que vão contribuir para a qualidade de vida dos nossos avós, pais e demais familiares da terceira idade.

Por que é importante cuidar da saúde do idoso?

Entenda por que é importante atenção à saúde do idoso

Ao passo que uma parcela maior da população alcança idades mais avançadas, é necessário que as famílias e as autoridades médicas e governamentais discutam as melhores estratégias para que esse grupo de pessoas tenha mais qualidade de vida. Esse momento já chegou faz tempo. Entenda por quê!

O aumento da expectativa de vida

Segundo registros do IBGE, de 1940 para cá, a expectativa de vida da população aumentou em 30,8 anos. Dessa forma, a visão do cuidado ao idoso é algo novo em nosso país.

Apenas para ter uma ideia, a expectativa de vida na Itália é de 85,3 anos para mulheres e 81 anos para homens. Conforme informado pelo Ministério da Saúde italiano, em 2001, a “speranza di vita” já alcançava 76,7 e 82,9 anos entre homens e mulheres, respectivamente. Dezenove anos depois, em 2020, o Brasil ainda não chegou nesse patamar.

Existem, é claro, diversos fatores envolvidos nisso. A questão, porém, é que direcionar um olhar atento às necessidades e a saúde do idoso é algo recente para as famílias brasileiras. Poucas delas conversam sobre o assunto ou tomam decisões específicas com antecedência para garantir o bem-estar dessas pessoas.

Mas a tendência é que a população idosa brasileira se torne cada vez maior como o tempo. Pode-se esperar que, em alguns países, a terceira idade seja mais numerosa do que a população jovem, levando ao que conhecemos como inversão da pirâmide etária. No Brasil, os idosos representam 9% da população, sendo que, em países como Itália e Japão, esse percentual já chega a 25%.

Dessa forma, a importância do cuidado na terceira idade reside principalmente no fato de que ter uma pessoa idosa em casa será algo cada vez mais natural. Ao passo que a expectativa de vida da população aumenta em cada família, será mais fácil encontrar um, dois ou mais idosos que necessitarão de cuidados.

A vulnerabilidade que os anos trazem

Nossos pais e avós, ao longo de todas as décadas, lutaram para construir famílias, contribuir socialmente por meio de seu trabalho e levar uma vida digna. Em outras palavras, tiveram a força moral e física necessária para cuidar de nós.

Porém, ao chegar à terceira idade, encontram uma sociedade despreparada e enfrentam muita dificuldade para lidar com suas necessidades. Muitos não entendem os cuidados biopsicossociais que nossos idosos precisam e merecem.

Vamos falar mais adiante sobre desafios enfrentados que afetam a saúde mental e física desse grupo. Por agora, é importante salientar que as circunstâncias limitantes em que se encontram geram diversos problemas para o bem-estar — e isso reflete-se na longevidade dos idosos.

Os cuidados ao idoso significam garantir a eles maior qualidade de vida. E isso se desdobra em dar condições para que tenham certa medida de independência. Por outro lado, quando essa atenção não é dada, aumentam os riscos de acidentes, de quedas e de outros problemas que podem gerar ainda mais dependência e afetar a saúde do idoso.

Por isso, vamos listar agora quais são os principais aspectos da saúde mental e física do idoso aos quais é necessário dar atenção.

materiais educativos

Que fatores influenciam na saúde do idoso?

Os desafios enfrentados pelo idoso brasileiro muitas vezes o expõe a uma lamentável situação de vulnerabilidade e de riscos. Esses fatores podem ser divididos em aspectos psicossociais e biológicos.

Fatores psicossociais

Em países que já convivem com uma ampla população idosa, muitas vezes a velhice é tida como sinônimo de sabedoria e de experiência, o que confere a essas pessoas muito mais dignidade, atenção e respeito.

No Brasil, por outro lado, a idade avançada nem sempre é encarada dessa forma, o que muitas vezes faz com que o idoso passe por situações bem complicadas em seu cotidiano, fora e dentro de casa. Veja mais a seguir.

TRATAMENTO FAMILIAR

Quando os filhos se tornam adultos e ganham independência financeira, é natural que saiam de casa para construir suas próprias famílias ou mesmo para viver sozinhos.

Acontece que, em alguns casos, ocorre de o idoso ficar sem o suporte de que necessita para as suas necessidades básicas. Ou são deixados em casas de repouso, pois sua família acredita ser o suficiente, e nem tira tempo para fazer visitas. Porém, a falta de contato com a família pode impactar profundamente a saúde do idoso, sobretudo o emocional deles, levando em consideração a faixa etária ainda mais sensível.

CONVÍVIO SOCIAL

O convívio social é importante em qualquer época da vida. Na terceira idade não é diferente. No entanto, nesse período, existem algumas limitações. Por exemplo, após deixar o emprego, os idosos deixam de trabalhar e não frequentam mais os locais a que estavam acostumados.

Ao perder o contato com colegas de trabalho e não realizar demais atividades cotidianas, muitos idosos acabam fechando-se e até apresentando quadros de depressão.

A forma como são tratados em seu convívio social também é um fator importante. Tendo em mente o ponto de vista negativo sobre a velhice, muitas pessoas acabam tratando os idosos com preconceito, demonstrando falta de paciência e desrespeitando seus direitos.

Fatores biológicos

A idade avançada também é, muitas vezes, acompanhada de limitações físicas e perda da saúde. Por exemplo, dependendo de como a pessoa se comportou em sua vida, muitos problemas costumam aparecer. Manter o equilíbrio em escadas ou em um piso úmido pode ser um desafio e provocar quedas que comprometem a qualidade de vida e a saúde do idoso.

A perda de audição é outro problema de saúde do idoso bastante comum. Além de prejudicar o convívio social, causa embaraço porque a pessoa não entende com tanta facilidade o que outros dizem. Outras atividades também podem ficar mais difíceis, com assistir à TV, escutar música ou viajar.

Diante de tantos aspectos que interferem na saúde do idoso, ações são necessárias para ajudá-los. É o que veremos a seguir.

Como cuidar da saúde do idoso?

Quando falamos em cuidado da saúde do idoso, muitos logo associam tais preocupações a consultas e a exames médicos. Como vimos, as necessidades desse grupo vão além disso, e envolvem ações que promovem a saúde na totalidade.

Por isso, vamos listar alguns dos principais cuidados que vão acolher diferentes aspectos que interferem no bem-estar na terceira idade!

Mantenha uma alimentação equilibrada

Uma alimentação balanceada é importante em todas as fases da vida e, na terceira idade, isso é especialmente importante. Afinal, o metabolismo não funciona como antes. Além disso, o menor nível de água no corpo e a queda de alguns hormônios fazem a saúde ficar ainda mais vulnerável.

Assim, uma alimentação adequada vai suprir a carência de alguns nutrientes, algo comum nessa fase. Por isso, ajude o idoso a ter à sua disposição legumes, frutas, verduras, fibras, grãos, ovos, leite e derivados. Não se esqueça também de carnes e de peixes. Evite ao máximo alimentos processados e gordura saturada.

É sempre recomendável buscar a orientação de um nutricionista para que o profissional adapte a dieta do idoso conforme suas necessidades. Isso é especialmente importante se ele tiver alguma alergia alimentar ou problemas de saúde que restringem a ingestão de açúcar ou de sal, por exemplo.

Cuide da segurança

A maior parte dos acidentes com idosos acontece no ambiente doméstico. Muitas vezes, pequenos obstáculos, como degraus, objetos espalhados pela casa ou pisos escorregadios, são o suficiente para que percam o equilíbrio e machuquem-se gravemente.

Por isso, se houver idosos no lar, é fundamental que todos contribuam para uma casa bem organizada, livre de obstáculos. É bom também substituir pisos e tapetes escorregadios por modelos antiderrapantes, especialmente no quarto do idoso e no banheiro.

Algumas outras adaptações são muito necessárias:

• evite móveis pequenos, que poderiam fazer o idoso tropeçar;

• mantenha os cômodos bem iluminados. Você pode optar por sensores automáticos;

• abra uma passagem mais larga entre os móveis;

• instale barras de apoio no box do banheiro, ao lado dos sanitários, em corredores e em escadas;

• remova objetos pontiagudos da casa;

• deixe uma lanterna à disposição no quarto, caso o idoso queira levantar da cama à noite;

• instale um botão de emergência (um interruptor de campainha, por exemplo) ao lado da cama do idoso, caso ele precise de ajuda rápida.

Dê atenção à higiene

Quanto mais idoso, maior poderá ser a dependência (e os riscos), mesmo em tarefas mais usuais. Por isso, dependendo das limitações, supervisione o momento do banho. Em alguns casos, talvez seja necessária uma ajuda mais ativa nesse sentido.

Outra recomendação que ajuda nesse momento é o uso de assentos para o banho, que evitam riscos de quedas. É preciso também ter cuidados adicionais com a higiene bucal e a hidratação da pele, que costuma ser mais sensível nessa idade. Se o idoso necessitar usar fraldas, dê atenção às horas de troca.

Acompanhe a necessidade de cuidados médicos e de medicação

O acompanhamento médico regular de um especialista é um dos pontos mais importantes na promoção da saúde do idoso. O geriatra é o profissional indicado. Ele vai ajudar a prevenir ou a detectar doenças graves próprias da terceira idade.

Esse acompanhamento é muito importante. Afinal, nessa idade, o organismo passa por muitas mudanças importantes, e tanto o idoso quanto a família precisam entender como vão se ajustar.

Em muitos casos, fazer consultas e tomar medicamentos se tornará uma rotina. Para não se perder nessa organização, é possível separar as caixas de remédios conforme o horário e a dosagem recomendada pelo médico.

Estimule a prática de atividades físicas

É muito comum que os idosos se tornem mais reclusos e reduzam sua vida social. Isso pode ser um grande risco para a saúde mental e física. Por isso, estimule a prática de atividades físicas ao ar livre.

Algumas das alternativas são pilates, musculação, hidroginástica, alongamentos, caminhadas, yoga e dança. Antes de escolher uma dessas opções, porém, é sempre importante buscar a orientação de um especialista.

Essas atividades são muito úteis para fortalecer a musculatura (o que ajuda a prevenir quedas e fraturas), melhorar o humor, contribuir para a boa saúde mental, manter o peso e aumentar a longevidade.

Dê condições para boas noites de sono

O sono de qualidade traz benefícios a pessoas de todas as idades e melhora nossa condição física e mental. Ter quadros de insônia e acordar várias vezes à noite geram sintomas como irritabilidade, ansiedade, dificuldades de lidar com frustrações e deficit de memória, além de problemas cardiovasculares.

A quantidade de horas que é preciso dormir varia de uma pessoa para outra. Enquanto uns já ficam bem descansados em um sono de seis horas, outros talvez precisem de oito ou mais horas. Assim, descubra qual é o tempo necessário para o idoso e ajude-o a ter o repouso suficiente.

Além do tempo de sono, é importante prezar pela qualidade do descanso. Algumas medidas simples são muito eficazes:

• reserve até 30 minutos para sesta da tarde. Essa soneca ajuda a garantir uma boa noite de sono e até a melhora o humor;

• evite a ingestão de cafeína próximo à hora de dormir;

• reduza o consumo de álcool;

• estimule a prática de exercícios físicos;

• tome sol com o idoso;

• tenha horário fixo para dormir e acordar;

• evite o uso de aparelhos eletrônicos antes de ir para a cama.

Fique atento às principais vacinas

Um dos pontos altos no cuidado com a saúde do idoso é a atenção às vacinas. A imunização é o melhor caminho para evitar quadros clínicos mais graves. Assim, pessoas com mais de 60 anos e seus cuidadores precisam ficar atentas ao calendário de vacinação, especialmente em relação à gripe, que acontece todos os anos.

Apesar de a vacinação contra a influenza ser a mais conhecida, existem oito imunizações recomendadas pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG):

• pneumonia pneumocócica;

• tétano e difteria;

• hepatite;

• tríplice viral;

• meningite meningocócica;

• febre amarela;

• herpes zóster;

• gripe.

Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza gratuitamente três vacinas para pessoas a partir dos 60 anos que não tenham comprovação vacinal ou que nunca tenham tomado:

• difteria e tétano: são três doses. Se o idoso tiver a comprovação incompleta, serão ministradas as doses faltantes. Recomenda-se que, de 10 em 10 anos, seja dado um reforço;

• febre amarela: um médico fará a prescrição conforme a necessidade e o risco;

• hepatite B: são três doses com um intervalo de 30 dias até a segunda dose e seis meses entre a primeira e terceira doses.

Outras duas vacinas entram no Calendário Nacional de Vacinação e podem estar disponíveis para os idosos:

• pneumocócica 23-valente: direcionada a pessoas com mais de 60 anos que estejam acamados ou que vivam em instituições (asilos, hospitais etc.);

• influenza: idosos e pessoas com doenças crônicas sofrem mais os impactos dos sintomas da gripe. Como o vírus está em constante mutação, é preciso tomar a vacina todos os anos, que é frequentemente ajustada.

Qual é a importância de manter a saúde mental na terceira idade?

Saúde mental do idoso também é importante! Saiba como cuidar

Além dos cuidados com a saúde física, o lado emocional do idoso não deve ser menosprezado. É muito comum surgirem problemas de bipolaridade, depressão, ansiedade, demência e esquizofrenia.

Os cuidados devem ser redobrados porque os idosos normalmente já consomem outros tipos de medicações. Além disso, nessa idade, o indivíduo sofre com algumas perdas naturais, especialmente cognitivas, e a depressão tem sintomas diferentes de quando a pessoa é mais jovem. Por exemplo, a depressão no idoso pode causar perda de memória, prostração, dores físicas e redução no ritmo de tarefas que costumava fazer rotineiramente.

Para promover uma boa saúde mental, é importante tomar alguns cuidados. Além da boa alimentação, sono de qualidade e prática de atividades físicas, que já comentamos, existem outras iniciativas e atitudes que contribuem bastante.

Fortalecer os vínculos familiares e sociais

Como já pontuamos, os laços sociais são vitais para nós. Quando chegamos à terceira idade, eles se tornam ainda mais importantes. Apesar disso, existe uma grande tendência de o idoso se isolar, ou ser deixado de lado pela família. Além do mais, em época de isolamento social, esse aspecto pode ficar ainda mais comprometido.

A família precisa ser uma fonte de apoio e de confiança. Tirar tempo para conversar e participar em atividades recreativas com os idosos faz muita diferença na saúde mental deles.

Além da família, outros agentes da comunidade, como comerciantes, profissionais da saúde, vizinhos e amigos, também desempenham um papel importante nesse convívio. Por isso, promovem essa interação.

Respeitar a autonomia e o tempo do idoso

É natural que, após os 60 anos, a mente e o corpo da pessoa vão ficando mais vulneráveis a certos riscos. Sendo assim, diversos cuidados são necessários. Mas eles não podem ser exagerados.

Um monitoramento extremo e uma preocupação exacerbada sobre as ações do idoso podem ferir sua autonomia e independência. Quem cuida do idoso precisa sempre pensar se estão respeitando o tempo e a liberdade dele ao realizar atividades do dia a dia, ou até mesmo o seu desejo de fazer coisas novas, como empreender.

Quando a contratação de um seguro de vida é recomendada?

Não há uma idade certa para fazer a contratação de um plano, contudo, deve-se ter em mente que o seguro para idosos é importante para segurança tanto do segurado quanto de toda a família. A contratação garante benefícios e facilidades que ajudam os idosos em situações do cotidiano e dão o suporte de que os familiares precisam em situações mais delicadas.

A fim de garantir segurança e bem-estar ao idoso, o seguro pode prestar serviços muito úteis, tais como:

• descontos em medicação e suporte para tratamentos: é possível comprar remédios com preços mais baixos e até obter indicações de médicos e outros profissionais da saúde, como fisioterapeutas e enfermeiros;

• assistência para o lar: o serviço inclui revisão na parte elétrica da casa e instalação de barras de segurança em banheiro e tapete antiderrapantes;

• suporte financeiro: em casos de internação hospitalar, é possível receber diárias de internação no hospital. O idoso também pode ter direito a uma indenização se sofrer acidentes domésticos que resultem em uma queimadura ou mesmo uma fratura óssea.

Contar com esse suporte é muito importante para garantir melhor qualidade de vida tanto para o idoso quanto para a família. O seguro de vida para idosos dá mais tranquilidade em situações ainda mais difíceis, pois é um momento no qual todos podem estar mais fragilizados. Ele pode ainda oferecer cobertura em casos de invalidez, acidentes e lesões temporárias e permanentes:

• ressarcimento por morte: o contrato do seguro de vida permite eleger beneficiários para o recebimento de uma indenização. Se ninguém for escolhido, os herdeiros recebem a indenização (50% do cônjuge e 50% para os filhos);

• acidentes que causem invalidez total ou permanente: o segurado recebe uma indenização se sofrer um acidente coberto pela apólice;

• assistência funerária: serviço importante prestado à família, arcando com todas as despesas do segurado e de seu cônjuge, além de dependentes menores de 21 anos (no caso de assistência funeral familiar).

O investimento em um seguro garante muito mais tranquilidade para toda a família, inclusive para o próprio idoso. O plano Master Acidentes Domiciliares, por exemplo, é voltado para proteger esses usuários de acidentes, inclusive domésticos, e cobre incidentes com queimaduras e fraturas, muito comuns nessa faixa etária.

Preparar-se para cuidar da saúde do idoso não é fácil. Pode ser muito desafiador quando a família não tem informações confiáveis ou a orientação certa. Esperamos que as dicas dadas aqui ajudem a tratar da melhor forma daqueles que cuidaram de você!

Que tal conhecer um seguro que protege financeiramente os idosos de acidentes que podem acontecer dentro de casa? Veja mais detalhes aqui.

Cadastre-se para receber atualizações por e-mail